Curso em 3 aulas

Uma das principais críticas feitas por José Ortega y Gasset à produção artística moderna foi sua “desumanização”. Para o filósofo espanhol, a arte se encheu de esquemas, abriu mão de sua própria realidade e se voltou para um grupo seleto de apreciadores – todos eles convictos dos princípios “reflexivos” propostos. A função principal da arte, assim, deixou de ser cumprida; ela já não representa mais a intimidade do homem com o mundo, a sua compreensão irreal da realidade.

É preciso recuperar esta dimensão da arte, verdadeira “operação espiritual entre o homem e o mundo”. O artista não faz cópias do mundo – nem apenas obras críticas – mas cria novos mundos virtuais com seu engenho, fazendo da arte realidade autônoma.
Realidade esta capaz de proporcionar o gozo de estar aparentemente em intimidade com as coisas.
A exposição destes e outros pontos do pensamento orteguiano sobre a arte é a intenção deste curso breve. O texto principal usado nas aulas é “A desumanização da arte”, famoso ensaio de filosofia estética de Ortega y Gasset.
A Arte segundo Ortega y Gasset